quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Conheça um pouco das Belezas Naturais de Tibau RN

VEJA O VÍDEO : 

video


VERÃO DE TIBAU RN,,, TEMPORADA 2017 ARENA SHOW ...

O Maior verão do Litoral, veja os dias e as atrações da Arena Show! 
Compre o pacote das 3 FESTAS e ganhe um desconto super especial. Informações no Centro Empresarial Caiçara (84) 3316-5366 ou pelo site: www.gondimgarcia.com.br/

FILHO DE EMPRESÁRIO MOSSOROENSE SOFRE ATENTADO À BALA EM MOSSORÓ.

Edvaldo Fagundes Filho dirigia seu veículo em área urbana quando foi atacado por 'desconhecidos' 
O empresário Edvaldo Fagundes Filho sofreu um atentado à bala à noite de hoje em Mossoró. O incidente aconteceu quando ele pilotava um carro Land Rover blindado pertencente à sua mãe, Zulailde Gadelha, por volta de 20h30. 
Em áudio que postou em redes sociais, tranquilizando amigos e familiares, subliminarmente o empresário admite que o fato não fora uma tentativa de assalto, mas tentativa de assassinato: 
- Estou bem, estou bem, tranquilo. Estou bem mesmo (…). Foi melhor ter acontecido agora que não aconteceu nada comigo. Mais na frente podia ser que eu tivesse morrido (…). Não é possível que eles ainda venham de hoje para amanhã… “Edvaldo Filho”, como é mais conhecido, estava pilotando o veículo numa via projetada que liga o Partage Shopping ao condomínio Quintas do Lago, ladeada pelo condomínio Alphaville e pela loja de atacarejo Atakadão (Nova Betânia). 
De repente, o carro foi emparedado por outro veículo (moto) e vários tiros foram disparados, com destaque para projéteis que atingiram região que fatalmente alcançariam sua cabeça. 

Emoção 
A abordagem com característica de atentado foi reproduzida pelo empresário em depoimento à Polícia Civil, na Delegacia de Plantão (Alto de São Manoel). 
Segundo relatos de fontes ouvidas pelo Blog, ele chegou tão emocionado que abraçava indistintamente as pessoas presentes, a ponto de chorar. 
Em seguida, passou a se comunicar com familiares e amigos através de redes sociais no seu smartphone. A todos, tranquilizava dizendo que estava “bem”.

http://www.passandonahorarn.com/

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Prefeitura de Tibau estabelece normas e condições para ocupar áreas em vias públicas e particulares

Por meio de Decreto, a Prefeitura Municipal de Tibau estabeleceu normas e condições para a ocupação de áreas em vias e logradouros públicos e particulares durante os festejos do Espaço Areia Show, que compreende o período do Veraneio 2017, que acontece de 1º a 31 de janeiro e, também, do carnaval que será de 24 a 28 de fevereiro de 2017.

Conforme o Decreto, fica fixado valores para fins de utilização de espaço público, por vendedor ambulante, na RN 013, nas proximidades do Espaço Arena Show, por ocasião do Veraneio 2017 e do Carnaval, conforme as datas expressas acima.

Quem pretende comercializar no local, será cobrada uma taxa de funcionamento, conforme o tamanho do espaço.

Tamanho máximo de 5 metros quadrados, para comercializar alimentação e/ou bebida, o valor único será de R$ 70,00.

Já se o espaço for acima de 5 metros quadros a 10 metros quadrados, com o mesmo objetivo da venda de alimentos e/ou bebidas, o valor único será de R$ 150,00. Em sendo o espaço entre 10 a 20 metros quadrados, o valor único é de R$ 200,00, e entre 20 e 30 metros quadrados o valor, também único, é de R$ 250,00.

O Decreto informa ainda que a localização das barracas será feita por ordem de chegada para cadastro. Este por sua vez, poderá ser realizado no período de 16 de dezembro de 2016 a 16 de janeiro de 2017, das 8h às 13h, na Secretaria Municipal da Fazenda (SEFAZ).

Ainda conforme o Decreto, somente será permitida uma barra por pessoa física, ficando, ainda, vedada a atividade de comércio de ambulantes nas calçadas e nas vias públicas em frente aos comércios locais, ressalvados os casos de autorização dos proprietários dos estabelecimentos.

A advertência ainda, é no sentido de que qualquer espaço utilizado sem observância das regras especificadas no Decreto, serão considerados irregulares, ficando impossibilitada de funcionar.

Outra advertência é que a energia será por conta do ambulante, que deverá procurar a concessionária de energia, a Cosern, até dois dias úteis antes do início do funcionamento, e de posse da autorização expedida pela Prefeitura.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Está chegando o dia! O Safadão vem ai!!!

Dia 12/Dez. (véspera do feriado de Santa Luzia) no Espaço Villa Oeste em Mossoró-RN! Wesley SafadãoMárcia Fellipe e Gabriel Diniz. Então não perca tempo! 

Vendas no Centro Empresarial Caiçara (84) 3316-5366 ou pelo site: www.bilhetecerto.com.br



Bloqueadores de celular começam a funcionar em Alcaçuz


Foto: Canindé Soares

Os bloqueadores de celular já estão funcionando na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte.

Alcaçuz fica no município de Nísia Floresta, na Grande Natal. Segundo a direção da penitenciária, a unidade possui atualmente 1.140 presos. A capacidade, no entanto, é para 620.

Os primeiros bloqueadores de celular instalados no sistema prisional potiguar começaram a funcionar no dia 28 de julho deste ano na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), cidade da Grande Natal – fato que motivou uma série de ataques criminosos que aconteceram em várias cidades do estado.

Ônibus, carros, prédios da administração pública e bases policiais em 42 cidades foram alvos de incêndios, depredações e disparos de arma de fogo. Os ataques, 118 ao todo, aconteceram entre o dia 29 de julho – um dia após a instalação dos bloqueadores – e o dia 15 de agosto. Não houve mortos. Um dos acessos ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, e até mesmo a vegetação do Morro do Careca (um dos principais cartões-postais do RN) também sofreram com os ataques.

Ex-prefeito de Macau tem prisão revogada após condenação por uso de documento falso


A juíza Cristiany Vasconcelos Batista, da Vara Criminal de Macau, condenou nesta ultima terça feira (6) o ex-prefeito daquela cidade, Flávio Vieira Veras, a uma pena de dois anos e seis meses de reclusão pela prática do crime de uso de documento falso. Contudo, como o réu encontra-se preso há um ano, a julgadora fixou o regime aberto para cumprimento da pena e concedeu a Flávio Veras o direito de recorrer em liberdade. Assim, a prisão preventiva foi revogada e substituída por medidas cautelares. O ex-gestor está proibido de frequentar as repartições públicas em Macau, ocupar função pública no Município ou de contratar com o ente público municipal.

“Uma vez provado que o documento público era falso e que foi utilizado em habeas corpus, isto com a ciência do denunciado, a condenação nas penas do crime do art. 304 do CP é medida imperativa”, aponta a sentença.

A denúncia do Ministério Público Estadual sustenta que o réu Flávio Veras utilizou documento ideologicamente falso no Habeas Corpus com liminar nº 2015.003827-0, no dia 27 de março de 2015, para induzir a erro os desembargadores da Câmara Criminal do TJRN e conseguir a liberdade que havia sido restrita em razão da sua condição de prefeito “de fato”.

Segundo o MP, o documento foi confeccionado com numeração e data retroativas para simular uma inexistente proibição de Flávio Veras circular nas repartições públicas de Macau e um rompimento político entre ele e o então prefeito Kerginaldo Pinto, tudo para embasar a tese jurídica de que Veras não tinha qualquer ingerência na Prefeitura de Macau.

“Restou provada a falsidade da portaria, que foi confeccionada somente depois da prisão do acusado Flávio Veras, visando dar publicidade à proibição, até então inexistente, de acesso às repartições públicas da Prefeitura de Macau e a documentos, exceto mediante pedido escrito. Os depoimentos e interrogatório antes destacados e transcritos deixaram claro que tal vedação não existia até a prisão e a decretação de cautelares nesse sentido por este juízo”, afirma a julgadora.

Demais acusados

Na mesma sentença, foram condenados Miguel Fernandes de França (dois e quatro meses de reclusão em regime aberto ) e Ailson Salustiano Targino (um ano e nove meses de reclusão em regime aberto) pela prática do crime de falsidade ideológica. As penas de ambos foram substituídas por prestação de serviços à comunidade e prestação pecuniária.

A juíza absolveu Joad Fonseca da Silva e José Alves Matias Júnior da imputação pela prática do crime de coação. “Muito embora a ameaça de perder o cargo seja forte o suficiente para incutir temor na vítima, não ficou provado nos autos que os acusados tenham feito qualquer promessa ou mesmo insinuação nesse sentido, ainda que de forma indireta ou disfarçada, de modo a configurar a ameaça velada alegada pelo Parquet e, consequentemente, autorizar a condenação pelo delito do art. 344 do CP”, diz a sentença.

A juíza Cristiany Vasconcelos Batista extinguiu a punibilidade dos acusados Miguel Fernandes de França, Ailson Salustiano Targino e Ana Marfisa de Assis quanto à prática do crime de falso testemunho, pelo fato de que houve retratação em juízo antes de ser proferida a sentença.

O caso

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, no final do mês de março de 2015 o então prefeito de Macau, Kerginaldo Pinto do Nascimento, e os denunciados Miguel Fernandes de França e Ailson Salustiano Targino inseriram informação falsa na Portaria n.º 046/2014 – GP -, consistente em data retroativa a 12 de novembro de 2014, com o objetivo de alegar rompimento político entre o prefeito Kerginaldo Pinto e Flávio Veras.
Relatou ainda que o réu Miguel França foi o idealizador da portaria, o então prefeito Kerginaldo a assinou e o acusado Ailson Targino inseriu a falsa informação de que a teria recebido em 12 de novembro de 2014 na Secretaria de Administração e Recursos Humanos da qual era titular, distribuindo-a depois às demais secretarias, colhendo os cientes dos recebedores com data retroativa a 12 de novembro de 2014.

Ex-prefeito de São José do Campestre é preso em flagrante

Foto: TRE

O ex-prefeito de São José do Campestre, José Borges Segundo foi preso em flagrante nesta quarta-feira (7). Com o prefeito, foram encontrados milhares de documentos públicos referentes à sua gestão à frente da Prefeitura, diz o MP.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte(MPRN), deflagrou, na manhã desta quarta-feira (7), a Operação Démodé. A ação investiga um esquema de desvio de recursos públicos instalado na Prefeitura Municipal de São José do Campestre, no período de 2010 a 2012, através da contratação de uma empresa para execução de obras no referido Município.

Segundo o MP, a empresa investigada, apesar de ter vencido quase todas as licitações durante o referido período para execução de obras em São José do Campestre, não tinha registro de empregados contratados até julho de 2012. "Há registro de apenas seis empregados no mês de dezembro daquele mesmo ano", acrescentou a assessoria de imprensa do órgão.

Durante a investigação, o MP solicitou ao ex-prefeito José Borges Segundo, as cópias integrais de todos os processos de contratação da referida empresa, mas a documentação nunca foi apresentada.

Segundo o Ministério Público, existem indícios de que a empresa foi criada com o objetivo único de desviar recursos públicos do erário municipal, causando um prejuízo de mais de R$ 600 mil.

Participam da operação três Promotores de Justiça e oito policiais Militares, para cumprimento de dois mandados de busca e apreensão e dois mandados de condução coercitiva, expedidos pelo juiz da Comarca de São José do Campestre.

Prefeito eleito é preso pela PF no dia da diplomação

Operação Três Climas prendeu prefeito eleito de Mulungu (Foto: Divulgação/PF)
Operação Três Climas prendeu prefito eleito de Mulungu (Foto: Divulgação/PF)

O prefeito eleito de Mulungu, Robert Viana (PMN), é uma das dez pessoas presas na Operação Três Climas, deflagrada nesta quarta-feira, 7, pela Polícia Federal. Foram presos ainda os secretários de educação de Itapipoca, Pacajus e Ocara. Eles são acusados de fraudarem e superfaturarem licitações para transporte escolar das prefeituras dos três municípios.

A prisão do prefeito eleito ocorre no dia em que ele seria diplomado como vencedor da disputa eleitoral deste ano. Segundo a PF, fraudes em contratos das gestões com duas empresas ligadas ao grupo teriam desviado pelo menos R$ 10 milhões. A PF diz ainda não existirem, até o presente momento, provas do envolvimento dos atuais prefeitos das cidades nos desvios.

Ao todo, foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva (sem prazo), três de prisão temporária (por tempo máximo de cinco dias), seis mandados de condução coercitiva (condução forçada para depoimento) e 24 mandados de busca e apreensão.

Transporte escolar

Os recursos desviados vinham do Fundo Nacional de Manutenção do Ensino Básico (Fundeb) e do Programa Nacional de Transporte Escolar (Pnate). Sem divulgar nomes, a PF revelou que um ex-secretário de Educação de Pacajus também está entre os presos.

Mais de R$ 80 mil em espécie foram apreendidos durante as batidas policiais, separadas entre núcleos “político e econômico” do esquema. A operação mobilizou mais de cem agentes e ocorreu em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) no Ceará.

Também há indícios de desvio de recursos públicos em obras custeadas por convênios firmados com os Ministérios do Turismo e dos Esportes no município de Ocara. Suspeitos são investigados pelos crimes de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva , fraude em licitação, dispensa indevida de licitações , associação criminosa e lavagem de dinheiro.